Yirgacheffe

Etiópia

A lenda mais famosa sobre as origens do café conta que os efeitos prodigiosos da então desconhecida planta tenham sido descobertos exatamente na zona de Yirgacheffe – por um pastor e pelas suas cabras curiosas, que ficaram muito ativas após ter experimentado alguns grãos. Eis um verdadeiro “lugar de peregrinação” para todos os cultores da bebida.
Yirgacheffe encontra-se no sul da Etiópia, onde cresce uma das variedade de Arábica mais prestigiosas do mundo.

Um berço natural: aqui a planta nasce também espontaneamente, e nas plantações prospera luxuriante em altitudes elevadas. O cultivo do café reveste uma importância econômica fundamental para a região, mas é principalmente parte integrante da vida social e cultural dos seus habitantes. Pois aqui, como recita um antigo provérbio etíope, “Buna dabo naw”: o café é o nosso pão.
 

N/A°

Ali Legesse

Etiópia

monoarabica Ali Legesse
:
Ali Legesse
:
Yirgacheffe
:
1993

São quase oito horas da manhã e no campo respira-se o cheiro da noite recém-passada. Milhões de grãos de café estão espalhados secando ao sol, enquanto a natureza ao redor desperta lentamente. Repentinamente grandes nuvens escuras cobrem o céu. Em um instante o lugar retoma vida; primeiramente um grito, em seguida um exército de homens e mulheres correm para cobrir o café com grandes encerados transparentes. Em poucos segundos tudo se transforma em frenesi e concentração: nem mesmo uma gota deve tocar os grãos, ou o trabalho dos camponeses  nos últimos dias, nos meses passados e a preciosa colaboração com a illy nas semanas a seguir serão perdidos.

Ali Legesse está no pórtico, agora, e junto a alguns trabalhadores vê a chuva bater nos encerados; o café está salvo. O sexto sentido dos cultivadores foi, uma vez mais, providencial: os camponeses sempre sabem quando o mau tempo vai chegar e quantos minutos terão para colocar a colheita em segurança. Um canal meteorológico que há anos não erra uma previsão!
Ali nasceu no café ou, como gosta de dizer, “nasceu com o café”. Seu pai era um exportador e, após a sua morte, ele e o irmão Ahmed continuaram a se ocupar da atividade de família. Porém, para os dois Legesse, a mudança chegou com a decisão de se dedicar a todo o processamento dos grãos, um projeto ambicioso ao qual dedicaram todos os seus esforços durante os últimos trinta anos. Em cada xícara preparada com o café "deles" representam pelo menos quarenta dias de trabalho, esforço e amor. E um sabor que Ali traz sempre no coração.